Categoria: Fora da Zona Verde

Duas lições sobre o impeachment

Tirei duas lições desse início de processo de impeachment. Primeiro, que fui ingênua ao pensar que não poderia mais haver nenhum tipo de derrubada de governo no Brasil. Acreditava que nossas “instituições eram sólidas” (claro indício de manipulação ouvir tantas vezes a mesma coisa), que o país tinha uma imprensa livre e crítica capaz de

Continue lendo

Violência

Da Violência Do rio que tudo arrasta se diz que é violento. Mas ninguém diz violentas As margens que o comprimem (Bertold Brecht) Briga de torcidas neste final de semana: um morto e outra pessoa na UTI. Na Avenida Paulista, milícias acampadas em frente ao maior sindicato patronal do Brasil espancam pessoas que se vestem

Continue lendo

Viva a democracia!

Para comemorar esta semana, faremos uma ode à democracia, essa moça tanto desejada, apregoada em todos os lados, seja de cima para baixo, da direita para a esquerda…enfim, nesta terra onde uma nefasta ditadura reinou durante 21 anos, sendo por ela substituída como uma esperança de uma sociedade melhor. Devemos nos perguntar: é esta a democracia

Continue lendo

Menino de 2 anos é acusado de bruxo

Um vídeo que está circulando na internet de um garoto de 2 anos que foi abandonado pelos próprios pais que o acusam de ser um bruxo na Nigéria nos revelam muito mais que a miséria humana. Ele nos mostra a tal ponto pode chegar a ignorância daqueles que se veem “esquecidos” por instituições, deuses, governos,

Continue lendo

O papa apaixonado

E deu na insuspeita BBC: o papa João Paulo II, cujo papado durou 26 anos, de 1978 até 2005, teve uma relação “intensa” com uma mulher casada por mais de trinta anos. Segundo a reportagem, o então cardeal Karol Wojtila conheceu em 1973 Anna-Teresa Tymieniecka, mantendo desde então uma relação constante, com troca regular de

Continue lendo

O Carnaval dos pobres e ricos

O Carnaval é uma festa popular trazida pelos portugueses no período colonial. Uma das primeiras manifestações desta festa foi chamada de Entrudo e era praticada pelos escravos da colônia. Eles saiam nas ruas com suas caras pintadas, jogavam bolinhas de água de cheiro nas pessoas. O entrudo era considerado uma festa ofensiva e violenta, mas

Continue lendo