Um website bem legal…..

Quem nunca parou para observar o céu em uma noite clara? Como já disse Dorival Caymmi , é ruim da cabeça ou doente do pé. Bom, não foi exatamente sobre astronomia que motivou o grande compositor baiano a escrever “o samba da minha terra” mas é sobre esta maravilhosa ciência que quero falar.

No século III A.C., os astrônomos gregos Eratóstenes, Aristarco e Anaxágoras foram capazes de medir, com razoável aproximação,  o diâmetro da Terra e da Lua e também a distância entre a Terra e a Lua e a Terra e o Sol.  Apenas com um grande poder de dedução, imaginação e observação, em mais uma demonstração do quão os gregos foram geniais. Para que tanta tecnologia, como i-phones, tablets, aplicativos se não somos capazes de pensar lógica e dedutivamente? Quando me dizem que as crianças de hoje são mais inteligentes do que no passado, refuto completamente: o que há hoje é mais acesso à informação e mais ferramentas do aprendizado, mas nada disso é útil sem reflexão crítica e raciocínio lógico, que independe das épocas e modas. Isso será tema de outro post.

Bom, voltemos à Astronomia.

Nestes dias em Gonçalves onde o céu estava limpo e pude observá-lo com um super binóculo que comprei há uns tempos atrás (mas como nada é perfeito, esqueci o tripé, e dificultou muito o manuseio) me lembrei de um website da Universidade americana de Nebraska-Lincoln que disponibiliza várias animações sobre Astronomia.

Está em inglês, mas se você se interessa um pouquinho por ciências vale a pena visitar. O endereço é http://astro.unl.edu/naap/.

Veja por exemplo a animação do movimento orbital da Terra: (clique em start animation):

Movimento Orbital

Se você se interessar há vários livros em português de autoria do Ronaldo Mourão, astrônomo brasileiro falecido no ano passado. Ele foi um grande precursor e entusiasta na divulgação da Astronomia no Brasil. Um pouco mais avançado é o livro editado pela EDUSP Astronomia uma visão geral do universo, organizados por vários professores do IAG-USP, Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo.

sobre parma

Gonçalves – Minas Gerais

No sul de Minas Gerais, situado a cerca de 210 km de São Paulo está Gonçalves. O melhor e mais seguro – não o mais curto que é via Fernão Dias até Cambuí – meio de se chegar até lá é pela Ayrton Senna / Carvalho Pinto e seguir sentido Campos do Jordão. Seguir sentido Pinhal, Sul de Minas, passar por Sapucaí Mirim e São Bento do Sapucaí e logo após há o trevo para Gonçalves.

Cidadezinha que não chega a 5000 habitantes, Gonçalves pertence ao Circuito das Serras Verdes do Sul de Minas, encravado na Serra da Mantiqueira. Foi emancipada em 1963 sendo antes distrito de Paraisopolis.

Brasão Goncalves MG
Brasão Goncalves MG

É uma região muito bonita com aquele ar de interiorzinho meio nostálgico, em que todo mundo se conhece. Em muitos aspectos é a antitese de São Paulo. Para os baladeiros e baladeiras a cidade é BEEMMMM tranquila portanto se viajar sem namorado ou namorada leve um bom livro…

O QUE FAZER: Andar, fazer trilha, tomar banho de cachoeira, comer bem, tomar uma boa cachacinha, observar o céu estrelado… correr pelado de madrugada no meio do mato também é uma opção para os mais naturalistas.

Cachoeira do Simão (acervo pessoal)
Cachoeira do Simão (acervo pessoal)

Fomos ao restaurante da Vilma, comida caseira, feita no fogão a lenha e com uma boa variedade de saladas cultivadas e colhidas no próprio sítio, excelente! Outra opção para comer é Ao Pé da Pedra que tem uma vista bem legal, e que tem uma trilha que leva – como o próprio nome sugere – ao alto de uma pedra que proporciona uma vista bem bonita da região.

É uma cidade para voltar várias vezes.

Mapa de Gonçalves
Mapa de Gonçalves

sobre parma

Fora da Zona Verde

Frank Zappa, um genial músico estadunidense uma vez disse que “without deviation from the norm, progress is not possible” no que pode ser traduzido como “progresso não é possível sem desvio da norma”. Bom o Zappa realmente sabia das coisas e é uma direta inspiração para o nome deste recém nascido blog. Por que Fora da Zona Verde? A ideia é exercitar a escrita através de reflexões não convencionais, em que a norma corrente ou é contestada ou discutida, em algumas vezes até corroborada, mas sempre com um olhar crítico. Da minha formação de físico trago exemplos espetaculares de progresso produzidos “fora da zona verde”: o advento da Mecânica Quântica talvez seja o mais famoso, e Einstein quando jovem se imaginou viajando na velocidade da luz. No campo político venho de uma família de forte influência anarquista e o anarquismo caminha fora da zona verde o tempo todo. Nascemos e vivemos a maior parte de nossas vidas de uma maneira convencional, e talvez não há como fugir disso, pois afinal somos parte de uma sociedade, em que o coletivo muitas vezes deveria se sobrepor ao individual.

Ah! E zona verde também é um filme bem legal do Paul Greengrass….

Longa vida ao Fora da Zona Verde.

 

sobre parma