Lemmy

Nenhum comentário

A notícia de sua morte veio no início da nossa viagem para a Holanda. Como se fosse um velho amigo que morava ali pertinho disse cá comigo, mas porra, logo ele?

Assisti a um documentário ou uma entrevista – não me lembro – que o Lemmy dizia mais ou menos que quando você está triste ou depressivo basta colocar um rock´n´roll para tocar que todos os maus sentimentos vão embora. Achei bem legal quando a li.

Muitas vezes ouvi Motorhead em momentos como esse. Mau dia no trabalho? Bomba na faculdade? Fora de uma garota? Lemmy e o Motorhead resolvem.

O Ozzy Osbourne escreveu um artigo muito bacana logo após a sua morte na Rolling Stone, se você consegue ler em inglês, vale a pena ler aqui.

Cultuado no rock pesado, o Motorhead abria o seus shows dizendo “we are Motorhead we play rock´n´roll”. No documentário de 2010 ele descreve quais foram as suas fontes: melhor banda de todos os tempos? Beatles, claro. Melhor vocalista que o rock já teve? Little Richard.

Ele sabia das coisas.

Motorhead é rock´n´roll elevado à quinta potência.

Mas um lado que é menos lembrado – o Ozzy reforça isso nas suas lembranças – é quanto o Lemmy era um excepcional letrista. Que outro cara teria escrito “god was never on your side” (íntegra da letra aqui):

(…)

Let the voice of reason shine,
Let the pious vanish for all times,
God’s face is, hidden, all unseen,
You can’t ask him what it all means
He was never on your side,
God was never on your side
Let right or wrong, alone decide,
God was never on your side.

See the ten thousand ministries,
See the holy righteous dogs,
They claim to heal
but all they do is steal,
Abuse your faith, cheal & rob.
If god is wise, why is he still,
When these false prophets
call him friends,
Why is he silent, is he blind,
Will he see nothing in the end,

(…)

Há várias outras letras antológicas. Cada fã tem a sua.

Senti muito com a sua morte. Nunca fui aos seus shows, e olha que eles tocaram várias vezes no Brasil.

RIP Lemmy, as suas músicas são atemporais, como só os grandes fazem.

(não há contradição alguma, apenas sábio ecletismo, gostar tanto de Motorhead quanto de Jorge Ben Jor, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Cartola, Gilberto Gil.)

Terminando, para curtir nos momentos de desespero:

in the name of tragedy

e para escutar sempre…

I ain´t no nice guy

e um clássico, gravado no seu último álbum:

 

sympathy for the devil

lemmy jesus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s