Um pombo pousou num galho refletindo sobre a experiência

Nenhum comentário

Estando semana passada no Rio de Janeiro para mais uma viagem a trabalho, me ocorreu de ir ao cinema, sempre um ótimo programa. Estava hospedado em Botafogo, e procurando na região encontrei um filme com um nome estranho, que é o nome do post, de origem sueca e que foi o ganhador do Leão de Ouro do festival de Veneza de 2014.

Logo pensei: com um nome desses só pode ser um filme que merece ser classificado como Fora da Zona Verde.

A primeira surpresa agradável foi quando cheguei ao cinema: estação net Botafogo, cinema de rua, me lembrou o Belas Artes e o espaço Unibanco – atual Itaú – , cinema bacana, com gente bacana e em um bairro bem bacana. Até pipoqueiro de verdade tinha! Em frente tem uma livraria bem simpática, que estava cheia em razão de um lançamento. O cinema estará fazendo nas próximas semanas uma retrospectiva dos filmes do Stanley Kubrick.

20150625_195904

A sala 3 em que estava em cartaz o filme é pequena, me lembro que tem uma sala no Belas Artes que também é assim.

Pelo frio que estava parecia até São Paulo.

O filme é uma sucessão de esquetes: os três primeiros são sobre a morte, e pelo menos um é engraçadíssimo, aquele que me pareceu ser uma ante sala de aeroporto. Outro esquete que achei antológico é o que dá o nome ao filme, uma menina que declama uma poesia. A maioria dos esquetes são relacionados, embora não exista linearidade entre eles. Dois personagens são centrais: dois vendedores de entretenimento, bem, na verdade são vendedores de bugigangas, e há momentos muito engraçados, mas também momentos bem tristes e melancólicos. O diretor sueco Roy Andersson fez um pequeno apanhado de alguns aspectos da natureza humana, tanto os bons quanto os tristes, sempre de uma maneira lírica e singela.

Em alguns momentos me lembrou Monty Python e em outros Buñuel no seu discreto charme da Burguesia, especialmente na cena em que o jovem rei entra no pub.

Há margem para discussão em cada esquete do filme.

Gostei muito do filme, é para se rever daqui a um tempo. Pesquisando na Internet, fiquei sabendo que é o último de uma trilogia, os anteriores são Canções do Segundo Andar (2000) e Vocês, Os Vivos (2007). Fiquei curioso, vou procurar assistir, o diretor merece.

Por último, para quem se diverte vendo o Pânico ou o Danilo Gentili provavelmente achará este filme chato. Mas pensando bem, de certa forma este grande filme é uma antítese destes dois programas (sic).

Um Pombo Posou num Galho Refletindo Sobre a Existência

Ano: 2014

Roteiro e Direção: Roy Andersson

Elenco principal: Holger Andersson, Nils Westblom

Gênero: Comédia, Drama

Nacionalidade: Suécia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s